Navigation

Search

Categories

On this page

SyncFx 4.0 goes public with a CTP
SOA Manifesto has just landed
Webcast on Cloud database options
Windows Azure
"Live Mesh" to open in Los Angeles
Transacções Distribuídas fora de moda
Formação SOA: webcasts
TechEd Barcelona
ARC006 SaaS, Desafios e Oportunidades - Jose Antonio Silva
TechDays07: T-13 XML killer apps?
TSLOI - The Social Life of Information
Application Servers: Mercado a crescer
SOA?
Falácias - by Agilior
Actividades para o TechDays
Microsoft ESB
Performance Management
SHiFT 2006 - Lisboa 28/29 Set
Skyscrapr: Quem vai construir os arranha-céus?
Encontro de Arquitectos: Rethinking Infrastructure Architecture
Software Factories - Beat Schwegler - Avaliações
Patrick Tisseghem em Portugal para ensinar Office Information Bridge Framework e Infopath
PatternShare.org
Webcasts dedicados à banca: 14-18 Fev
Architecture Center
Pós-graduação em Engenharia de Aplicações Empresariais
SOA: tecnologia ou arquitectura?
Software Factories
Pat Helland e Metropolis
EDRA/Shadowfax & App blocks
FABRIQ disponível para download
Connected Applications Tour: SOA e Web Services
Keith Short e Whitehorse
Offline Application Block
XATA'2004: Slides e Links
XATA'2004: SOA e WS-*
Domain-Specific Modeling
TheServerSide.NET: Autonomous Services
Jornal para Arquitectos

Archive

Blogroll

Disclaimer
The opinions expressed herein are my own personal opinions and do not represent my employer's view in any way.



RSS 2.0 | Atom 1.0 | CDF

Send mail to the author(s) E-mail

Total Posts: 119
This Year: 1
This Month: 0
This Week: 0
Comments: 35

Sign In
Pick a theme:

# Thursday, October 28, 2010
Thursday, October 28, 2010 12:01:14 PM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas | OData | Sync/Offline )

The following are the highlights:

  • Server Side Business Logic Extensibility, which allows you to plug your custom business logic into the synchronization runtime on sync service using SyncInterceptors.
  • Service Diagnostic Dashboard, which is a debug option on server side that can be turn on to diagnose the health of the deployed sync services.
  • HTML5 sample source code to demonstrate how to write a offline web application using HTML5 which caches data in Web Storage and can be run across different browsers.

For more information about this public CTP, please read syncfx’s team blog post at: http://blogs.msdn.com/b/sync/archive/2010/10/28/announcing-sync-framework-4-0-october-2010-ctp.aspx

what to expect from future CTP release:

  • Tooling Wizard: We will add a UI wizard on top of the command line based SyncSvcUtil utility. This wizard will guide you to select tables, columns, and even rows to define a sync scope, provision/de-provision a database and generate server-side/client-side code based on the data schema that you have.
  • iPhone Sample: An updated and improved sample shows you how to develop an offline application on iPhone/iPad with SQLite for a particular remote schema by consuming the protocol directly.
# Thursday, October 29, 2009
Thursday, October 29, 2009 9:34:26 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | Web Services )
The SOA Manifesto was finally agreed on and "inked" on this ceremony. Although not a set of earth-changing statements, they would have been a decade ago, it represents a set of common sense from all the more vocal guys in this area.

Personally I couldn't find anything that would leave uncomfortable any of the major players, so the whole lists is too "soft" and "vague" that no one will complain. As I said, everyone had enough time to adapt during the last years. If this is still relevant nowadays? I don't believe so, maybe for their personal curriculum/branding/marketing, but for the industry this will be just a reference to update in the marketing documentation - Everyone already writes those statements in their Marketing lingo.

Where I believe change/impact will happen, will be in the frameworks & languages people will use to collaboratively develop those integration challenges:
  • Will we have wiki-style development of contracts? text-based and/or visually? oslo?
  • Will we have expressive and simple languages for mapping? Grails/GORM?
  • Will we have convention-over-configuration as we didn't had with Indigo/WCF? ADO.NET Data Services?
  • Will we have auto-magical-injected-best-practices-guidance like in RoR or MVC?
  • And surely everyone will be soa-manifesto complaint, interoperable and extensible!
Now we have a manifesto, proper and extensible plumbing (WS-*), auto translations/representations (SOAP/REST/json), dropped UML&Java to DSLs. It's time for the frameworks & tools to show up now!

# Monday, May 18, 2009
Monday, May 18, 2009 1:12:51 AM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Apresentações | Arquitecturas | Azure | SaaS )

Recently recorded the session from DevDays’09 but this time I had much more details on the changes happening within the SSDS & Azure teams. Even if you attended the original session, don’t miss this one as I had to update most of the content after all the announcements of MIX09.

So if you can understand Portuguese, I can only invite you to listen and please send me you comments:

Windows Azure - Storage na Cloud – José António Silva 

SQL Server Data Services (SSDS) é um serviço SQL alojado nos data-centers da Microsoft em todo o mundo. Suporta aplicações distribuídas à escala global, usando SOAP e REST como protocolos de interacção. Venha conhecer como modelar a base de dados para alta disponibilidade e escalabilidade, e como criar aplicações e serviços na “cloud” ou como adicionar este tipo de armazenamento para aplicações “on-permise”. Conheça estratégias para criar, consultar e actualizar todos os tipos de dados, desde os mais flexíveis aos mais estruturados.

# Monday, October 27, 2008
Monday, October 27, 2008 4:46:33 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | PDC2008 | SaaS | Sync/Offline )

Windows Azure

Thank you Microsoft for this birthday gift :-)

We are now attending the keynote and the new platform is now being announced and demonstrated on stage. First real app was the http://m.bluehoo.com/.

Branding for the new platform is simple and glues many things we have been discussing in the past (e.g. Dreamway FeedSync session).

In November David Chappell is coming to Lisbon for an Architecture meeting and, until then, you can read his latest paper here: Azure_Services_Platform.docx

(to be continued...)

# Wednesday, September 24, 2008
Wednesday, September 24, 2008 9:25:29 AM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas | SaaS | Sync/Offline )

I've never been so curious about the PDC's announcements as this year. I have no doubt this moment will be very important not only for the Microsoft's developer community, but anyone in the industry that is starting to see more and more value coming from all the services (building blocks) available on the net. I’m not talking about the “classical” remote functions calls over the net – that become ubiquitous with the SOAP/REST/XML generation. I’m expecting from Microsoft’s new cloud APIs and Services that all these hooks into my laptop I’ve been using lately (live mesh, groove, messenger, outlook, …), that they become building blocks for us to develop new applications. They are already available of course, but there isn’t anything as coherent, extensible and simple as a single runtime that can make the adoption of these new paradigms just explode (the “tipping point”).
Countdown to PDC 2008: This is the Software + Services PDC, Plus a Hard Drive Chock Full o’Bits is a PDC Attendee’s Dream Come True!

I remember .NET 1.0 as the tipping point for the web services generation. It made developers shift from old religious disputes around programming languages (eg. Java), distributed programming (CORBA, DCOM), client vs server programming (win32, applets, CGI, J2EE, J2ME, WAP). This shift has made us all move forward to other discussions, and although we all see the javascript runtime coming back (AJAX), there’s a bunch of new challenges we would all love to solve without having to put dozens of developers building all the plumbing in each project.

How difficult it is today to deploy software on the internet that:

· Is auto-updatable (code), syncs (data), even from P2P layers …

· …and leverages every marginal enhancement deployed on those new laptops;

· Runs online, and offline, and can even optimize bandwidth availability;

· Works from behind firewalls and all those NAT routers out there…

· …without having to use VPNs or explicitly publishing internal addresses+ports;

· Makes data (including web apps) available 24/7, geo dispersed…

· …at a cost that is ridiculous compared to buying any servers/harddrives.

This is my 3rd PDC, and every announcement is making me more confident this Live Mesh runtime, that I’m using for several months already, will open the new opportunity "Windows

# Wednesday, August 01, 2007
Wednesday, August 01, 2007 12:15:02 AM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas | Web Services )

Muitas das ferramentas que usamos no dia-a-dia simplificam o modelo de programação distribuído propagando as transacções entre as diferentes DataSources. O problema é que usamos cada vez mais fontes de dados e a latência/disponibilidade são cada vez mais fracas. Quando estas aproximações foram promovidas, as máquinas estavam muitas vezes no mesmo rack. Hoje com os Web Services (SOAP/REST/JSON) os mashups são construídos com base em endpoints que estão no mesmo planeta!

As aplicações que deixaram as transacções (atómicas) se propagarem por sistemas distantes, acabaram muitas vezes por enfrentar problemas enormes assim que a sua utilização aumentou (tipicamente mal saíram do developer :-)). O auto-enlist de transacções mais os remote calls como no DCOM eram muito simples de fazer, mas complicadíssimos de resolver em termos de performance. O locking excessivo, mais alguma latência acabava por deitar tudo abaixo. Embora também se possa muitas vezes minimizar o problema apenas aumentando os recursos de hardware e adquirindo infra-estrutura mais avançada, nem sempre essa solução é aceitável. Para além dos custos de hardware+software, isto tipicamente implica mais recursos humanos, sistemas mais complexos para operar e monitorizar, custos energéticos adicionais inclusive (Ar condicionado; geradores, ...).

Uma das formas para escalar, e garantir uma disponibilidade elevada de aplicações na Internet, passa por partir os dados por vários sítios, alguns registos até replicados por vários locais e próximos dos utilizadores que mais os usam. Resumindo, se começarmos a analisar como vão evoluindo aplicações que correm em cima de plataformas distribuídas geograficamente a conclusão é que é preciso repensar a forma de desenvolvimento, o nível de abstracção e a arquitectura vai fazendo toda a diferença.

Agora no verão é sempre uma boa altura para ler e aprender coisas novas, aqui vai um conjunto de coisas que quero continuar a estudar:

# Monday, June 11, 2007
Monday, June 11, 2007 5:08:02 PM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas | Biztalk | Software Factories | Web Services )

Jun 12th: SOA Overview

Learn how the Microsoft Service Oriented Architecture (SOA) vision and technology can help you realize a more agile and connected enterprise by using an IT infrastructure that can help streamline business processes, increase customer responsiveness, and improve interactions with key partners.

Presenters: Kris Horrocks and Yumay Chang, Microsoft Corporation

Jun 15th: Messaging & Communications

Applications commonly communicate with other applications, both inside and outside the organization. Modern applications also must often fit into a service-oriented architecture (SOA), exposing some of their functionality as interoperable services accessible by other software. Achieving these goals requires support for service-oriented applications to communicate with other services.

In this session we’ll share with you the technology Microsoft provides to build web services that support the latest WS-* standards endorsed by all major vendors. In addition, we’ll tie it in with the previous discussion around Software Factories and show how Microsoft supports rapid development of these services through tooling support.

Presenters: Steve Swartz and Don Smith, Microsoft Corporation

Jun 19th: Business Process & Workflow

In this session we will discuss the Business Process and Workflow capabilities necessary in service oriented architecture and provide guidance for selecting the most appropriate technology from Microsoft’s portfolio. We will discuss the requirements for service composition in client applications, composite services, service intermediaries, and line of business applications. In addition, we will examine the differences between general purpose workflow platforms, domain specific workflow products, and cross organization business process concerns.

Presenters: Kris Horrocks, Microsoft Corporation

Jun 22th: Tools & Modelling

The advance in tooling has allowed business to drive down the cost of development by over 100% in the last 10 years. However, in the same period of time the number of successful projects has not increased significantly.  In fact it has consistently run at right around 30% of projects are deemed successful.  Software development, as currently practiced, is slow, expensive and error prone, often yielding products with large numbers of defects, causing serious problems of usability, reliability, performance, security and other qualities of service.

This talk addresses how to identify typical customer pains in software development  and shows how Microsoft tools offer a solution that enables collaboration across the extended team of project managers, architects, developers, testers, and business stakeholders and allows new solutions to be developed faster, cheaper and better though industrialization of software development.

Presenters: Erik Gunvaldson, Don Smith, Microsoft Corporation

# Wednesday, May 30, 2007
Wednesday, May 30, 2007 12:52:52 AM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas )
# Thursday, March 22, 2007
Thursday, March 22, 2007 2:24:12 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Apresentações | Arquitecturas | SaaS | TechDays07 )

Hoje fiz uma sessão muito peculiar. Pensei que tinha sido muito confusa mas até agora toda a gente com quem falei tem sido muito simpatica comigo. Entretanto descobri que o Ricardo até publicou um video com um boa parte da sessão. E já dei por mim a assistir à sessão e devo confessar que estava aqui entretido a ver isto - como se não tivesse assistido! Parece que saí deste transe que tem sido o TechDays e estou agora a acordar para a realidade :-)

Como prometido na sessão, deixo aqui os links finais que tinha no ecran quando fechamos a sessão.

SaaS @ Microsoft.com

Blogs

Samples & Source

Para todos os que participaram (e fizeram questões) o meu muito obrigado. Teria sido muito complicado apresentar este tema sem um pouco de debate! E já agora, espero que me desafiem para mais discussões aqui ou mesmo em reuniões, brainstormings sobre este tema.

Agradecimentos finais

Quero agradecer ao GASP por todo o apoio e dizer aqui que tudo isto começou no grupo há quase um ano quando começaram as discussões sobre Web 2.0, AJAX, REST e SaaS. Hoje as minhas opiniões sobre este tema, são fruto de muitas horas de animadas discussões, provocações e outros mimos com que tenho sido presenteado no grupo - OBRIGADO!

Pub

Para quem não conhece ainda, eu mantenho uma página no microsoft.com que agrega vários sources interessantes para arquitectos: blogs nacionais, internacionais, webcasts e outros links:

http://www.microsoft.com/portugal/msdn/arquitectura.aspx

# Thursday, March 08, 2007
Thursday, March 08, 2007 2:05:37 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | SaaS | TechDays07 | Web | Web Services )

Muitas foram as tecnologias que sofreram disrupções devido ao XML. Durante muito tempo acreditei que o SOAP era a "Killer Application". Hoje reconheço que o SOAP ainda tem muito para crescer. Mas uma outra aplicação teve uma adopção viral e que afectou muitas pessoas bem fora da tradicional tribo de tecnólogos: O RSS - Real Simple Syndication.

Hoje recebi este video que ilustra muito bem como é que o XML, o hipertexto e acima de tudo, as pessoas, estão a mudar completamente a Web.

Web 2.0 is linking people...

...people sharing, trading, and collaborating ...|

entretanto falta tão pouco para o techdays e:

O Simão ja postou sobre o Visual Studio SP1 Update for Vista e sobre o evento de mobilidade no Porto.

A Sónia fez o braindump do exame beta de Team Foundation Server (71-510).

O Paulo e o Sérgio estão a preparar uma sessão muito interessante para o TechDays: Composite Applications.

Pelo blog do Antonio Cruz é possível recontruir a agenda que ele escolheu para o Architect Insight 2007;

  • Solution Supply Chains - Jack Greenfield - He decided not do do a demo of Web Service Software Factory - We can do ourselves that at home - We would not get the vision that people at MS is getting - It also did not installed correctly on Jack's machine (LOL) Agenda: - Learning Read More...
  • Enterprise Architect Group Final Meeting - The Role of An Architect - Check "Developing the Future" whitepaper. There is also a Microsoft response to it. - There is going to be a DTF version 2 - Why having focus groups like this in conferences? - The role of an architect could benefit from clarity Read More...
  • What Do Architects Do, Anyway? - Ron Jacobs, Microsoft, Architect Evangelist http:// arcast.net (or) www.arcast.tv for video http://ronjacobs.com - What is the role of the architect? - What is software architecture? - Do I want to become an architect? - Architecture as a profession - Read More...
  • Identity Scale Federation - Steve Plank, Microsoft, splank@microsoft.com - Players: - Identity Provider - Relying Party - Subject - Specs: - WS-Policy - WS-MEX - WS-Security Policy - Ws-Security - Relying Parties can be web services or web sites but usually are web sites - Using Read More...
  • Active or Passive Federation for the Enterprise - Steve Plank, Identity Architect, Microsoft - Federation Flow - Home-round discovery is the process of knowing of all the trust relations I have which one will be the one that applies to me - All the redirection is done using HTTP 302 - Check the WS-Federation Read More...
  • Enterprise Architect Group Second Meeting - EN01 (II Part) - Architecture has not the same scope as systems engeneering - There are similarities with a physical arquitect - The deliverables make difference, at the end of the day that will be what distinguishes architects Architects flavors - Enterprise Read More...
  • SaaS As A Disruptive Technology  - Matt Deacon, Microsoft UK, Steven Moxey, Manchester Business School (Nota: entrei a meio da sessão) - What are the key attributes of a traditional software product? Case study: SIEBEL (CRM) - Market share - In-house retention of data - Integration with Read More...
  • Service Capsules - A Language and Patterns Perspective on Service Design and Implementation - Arvindra Sehmi, Microsoft EMEA DPE - This session is about emerging ideias and concepts - The term Service Capsule is not an official approved or endorsed by Microsoft - The term Service Capsule is used simply to distinguish from the term Service - This Read More...
  • SOA for Support and Maintenance - Steve Jones, Head of SOA, Capgemini - There *is* a SOA Reference Model: adopt the OASIS SOA Reference Model - Its independent - Its an OASIS Standard - Its applicable to business and IT services (...) - IT needs to change to be about Value, not Cost - Read More...
  • Roadmap to Strategic SOA - David Sprott, CBDI - SOA is very old, this session will start with an assessment to help participants understand what is their current SOA adoption stage - CBDI Presentation, SOA consultants - Specialist firm provinding actionable guidance and support Read More...
  • Clinics - The Future of Software Industry - Architect Insight Clinics - The Future of Software Industry, Andy James - Promote the debate, discussion of the future of software (6 groups): - Focus - Challenge - DtF (Developing the Future) V2 Themes - The theme for this room is: Skills and Education Read More...
  • Where to place your SOA bets? - Sam Lowe, Capgemini, sam.lowe@capgemini.com - The SOA has to pay off, otherwise it will loose credibility - Why SOA bets? - Definitions of SOA differ and stakeholders are unclear - The roadmaps out there are unclear - An SOA initiative has to be a change Read More...
  • Enterprise Architect Group First Meeting - What architects have in common: incorrect job titles - Tables are: - Strategy - Infrastructure - Solutions - Enterprise - What are the generic attributes of an architect? - Where is the value of beeing an architect? - Enterprise architect engages with Read More...
  • Introduction - 150 delegates Intro by Matt Deacon, Chief Architect Advisor, Microsoft UK - OpenXML is an ECMA standard and MS wants it to be an ISO standard - Signatures will be submitted to the british council for approval Ed Gibson, Chief Security Advisor, Microsoft Read More...
# Sunday, February 04, 2007
Sunday, February 04, 2007 12:23:45 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | TechDays07 )

Este ano no TechDays temos alguns eventos dentro do evento. Assim um dos que tem suscitado mais perguntas é o desconhecido "TSLOI" - A Vida Social da Informação.

Trata-se um evento para Arquitectos e Decisores onde o Beat Schwegler nos apresenta uma visão sobre a gestão de informação nos nossos dias.

Uma vez que se calcula que uma organização (não) têm cerca de 80% da sua informação em portáteis, memory sticks, CDROM, e outros equipamentos pessoais. Então como é que uma organização materializa conceitos como o Self-publishing (sites, wikis, rss, listas, blogs, docs, excel services,...), o Search (docs ad-hoc, DBs estruturadas, pessoas, sites, classificação, ...), os Processos (Forms, Workflow, Notificações, ...)? As sessões são uma viagem por todos estes temas, com um foco no utilizador desta geração 2.0, na usabilidade e no poder da massificação das ferramentas.

A comunidade de Arquitectos já o conhece pois em 2006 apresentou-nos as "Software Factories" cá em Lisboa, e desta vez não vai deixar de nos presentear com uma excelente apresentação, bem ilustrada com exemplos práticos que todos podemos implementar e demonstrar aos colegas no trabalho (ou não fosse esta uma sessão sobre Social Networking).

Junto a descrição "oficial":

The Social Life of Information

Abstract:

For too long, the industry just focused on the backend aspects of information. We made great progress in modeling, storing and transmitting information across our corporate landscape. However, humans are not directly interacting with middleware and servers but they collaborate with different front-ends and devices while participating in prescribed and adhoc processes and workflows. This forum takes a closer look at the technical and social challenges of such collaborating solutions and discusses how Microsoft addresses these challenges with 2007 Office System. Namely, we’re going to have an architectural look at the following aspects of 2007 Office System:

· Windows Sharepoint Services 3.0
Windows Sharepoint Services build the foundation of 2007 Office Sharepoint Server. The newly designed and re-architected Sharepoint Services 3.0 are built on top of ASP.NET 2.0. Through this change in architecture, concepts like master pages, authentication providers or web-parts are now also available within Sharepoint Services and Sharepoint Server Solutions.

· Collaboration
Beside many other things, the new Office platform provides an infrastructure for team sites, workflows, list and document libraries. Through this infrastructure, users can easily create and maintain their own Blogs or Wiki’s or can subscribe to site changes through RSS subscriptions.

· Portal
Portal solutions support important aspects for enterprises such as search across different WSS instances, people management (incuding audience and role management). Through the business datat catalog (BDC), line of business (LOB) data can be reflected within the portal itself, and this without custom coding.

· Search
In addition to search across the different sharepoint sites, 2007 Office System provides the powerful capability to index and search line of business (LOB) data using the business data catalog (BDC) and therefore provides search capabilities across list and document libraries as well as the integrated backend systems.

· Content Management
2007 Office System supports document management capabilities as well as web content management. Key capabilities of document management solutions are content organization, policies enforcement, workflow support and a rich authoring experience.

· Business Processes
Business processes can easily be implemented using the integrated workflow support of Windows Sharepoint Services. In addition to this, the InfoPath form services provide a great way to capture data as part of an overall process.

· Business Intelligence
BI is an integrated part of the Office System platform. Whether this is in the form of dashboards, key performance indexes (KPI), Excel Services or the report center, the office platform provides an infrastructure to display and manage reports and BI information in one central place.

Speaker Bio:

Beat Schwegler is an Architect in Microsoft EMEA Developer and Platform Evangelism Group. He provides advice and consulting to enterprise companies in software architecture and related topics and is a frequent speaker at international events and conferences. He has more than 13 years experience in professional software development and architecture and has been involved in a wide variety of projects, ranging from real-time building control systems, best selling shrink-wrapped products to large scale CRM and ERP systems.

http://blogs.msdn.com/beatsch/

# Thursday, January 11, 2007
Thursday, January 11, 2007 1:10:04 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | Web Services )
Na Application Development Trends (January 09, 2007) aparece este artigo sobre as tendências para este segmento:

Impressive Growth Ahead for Application Server Market

What’s at stake in the fiercely contested application server race? Plenty, according to IDC, which has IBM, BEA, Oracle, Sun, and a host of other vendors vying for their share of a surging application server market segment.

E para quem ainda não mudou, este site da Microsoft tem mais estudos e compartivos:

Competitive Reports and Evidence: Comparing .NET to J2EE

This site contains extensive materials designed to help you evaluate Microsoft .NET vs. J2EE application server technologies. Each area below contains downloadable whitepapers, benchmark comparisons, and sample source code.  If you are a Java developer interested in learning more about .NET, please also visit the following resources:

# Tuesday, January 09, 2007
Tuesday, January 09, 2007 12:00:37 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | TechDays07 | Web Services )

No final da sessão de Service Orientation: Patterns e Anti-Patterns (Novembro 2005), o Ricardo apanhou-me no corredor e gravou este pequeno video:


Video: SOA - José António Silva (Nov 2005)

Se analisarem com muita atenção esta gravação, conseguem descodificar como já nessa altura era evidente que esta geração dos web services estava a deixar o Java para trás :-)

# Sunday, January 07, 2007
Sunday, January 07, 2007 6:35:06 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | TechDays07 )

Em 2005 foi assim....


Video: Falácias

O Tiago Pascoal e o Bruno Camara, (e o TONY) surpreenderam a audiencia lotada que se deliciou com as situações do dia-a-dia de um programador (Prima Dona).

# Tuesday, January 02, 2007
Tuesday, January 02, 2007 8:17:28 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | TechDays07 )

Estamos a anunciar o TechDays e recolher sugestões para o evento. O formato anterior foi um sucesso e fazer ainda melhor é desafio muito grande. Desta vez já não vamos conseguir surpreender os que vieram no TechDays+Lançamento em 2005 mas esperamos pelo menos eliminar algumas coisas que vamos identificando que possam não ter corrido da melhor forma.

Esta é uma oportunidade para participares na construção do maior evento técnico do ano. Acreditamos que ainda podemos introduzir novos temas, novos oradores, novas actividades com as comunidades e promover novas ideias/produtos/serviços portugueses. Mas para isso precisamos das vossas sugestões.

# Saturday, November 04, 2006
Saturday, November 04, 2006 1:53:38 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | Biztalk | Web Services )

Finalmente começam a desvendar-se uma série de detalhes sobre o projecto dos 56 processadores. Pois, isso mesmo, 56 CPUs naquele que deve ser o maior projecto de Biztalk no Mundo - Kaiser Pharmaceuticals. Esta malta da Neudesic que estava a implementar isto percebeu que na plataforma Microsoft iam encontrar um supraset dos serviços que precisavam para implementar um ESB. A questão era como aplicar todas as peças e montar um BUS low-latency, gerível em cima de um portfolio de tecnologias gigantesco. Como é que se integram todos os IBMs, Unixes, Wintels com layers CORBA, CICS, MQ, JMS, ..., XML, SOAP, WCF?

O projecto correu muito bem e tem sido apresentado em várias conferências. A Microsoft acabou por contratar a Neudesic para criar um ESB Guidance e que começa agora a ver a luz do dia.

Para já fica aqui um link para o blog do Brian Bloesgen (Principal Neudisic)  que recomendo vivamente:

Microsoft ships ESB Guidance for Partners

# Monday, October 30, 2006
Monday, October 30, 2006 4:04:23 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Apresentações | Arquitecturas | SaaS | Software Factories | Web Services )

Não tenho tido tempo nehum para fazer posts aqui. No entanto muita coisa está a acontecer e com o apróximar do lançamento do .NET3.0+Vista+Office ainda vai ser mais difícil escrever.

Então aqui vai o meu resumo de links que recomendo nesta altura:

  • Software as a Service (SaaS): Novos whitepapers no http://msdn.microsoft.com/architecture/saas . Este continua a ser o tema que mais tenho debatido com empresas Portuguesas:  Strategies to Catch the Long Tail, Monetização de Serviços, Multi-Tenant Database Architectures. Nos próximos dias vai ser publicado mais um paper sobre utilização de SaaS em mercados Empresariais.
  • Software Factories: Ando a ler o Pratical Software Factories que recomendo pela objectividade - pouca teoria e muitas dicas de como é que se aplica uma Software Factory no desenvolvimento de uma linha de produtos (SmartClient). Para além deste SmartClientSF(CAB), também estão disponíveis na web novas versões do MobileClientSF (PocketPC), do WebServicesSF (e WCF beta) e já está a ser feito um WebClientSF.
  • Business Intelligence: Fiz uma apresentação no BI Day sobre PerformancePoint 2007. Ou seja a nova linha de produtos Balanced Scorecard Manager + Proclarity Analytics + Biz# (Planeamento, Forecasting e Orçamentação). O meu powerpoint está aqui.

E agora tenho de preparar umas coisas para o TechEd (Barcelona) mas depois escrevo mais sobre isso. Principalmente para combinar com a malta uma noite no Bowling.

# Friday, September 15, 2006
Friday, September 15, 2006 9:36:09 AM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas | UX )

A AAPU traz a Portugal uma confêrencia muito interessante, onde reunem não só os "geeks", mas também os autores/jornalistas e os governantes. Não há dúvida que a tecnologia mudou a forma como as pessoas se relacionam entre sí, com as máquinas, com as redes - com efeitos verdadeiramente virais. O programa de sessões é todo dedicado aos serviços web, ao social networking, blogging, wikis, ... 

About SHiFT:

Never before has technology been so much a part of our lives. But we don’t yet know what to expect - nor do we know how it’s going to impact on our lives and lifestyles.

What opportunities are there for integrating technologies into our daily routines? What problems do technologies solve and what problems are they creating for the future? Will technology increase the distances between people, those who have access to technology and those who don’t?

These kinds of questions are on many people’s mind. And yet there isn’t just one answer to most of them. Opening a dialogue is what we want to do in SHIFT.

# Tuesday, May 23, 2006
Tuesday, May 23, 2006 10:19:30 AM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas )

O que é preciso para construir os sistemas de informação mais complexos?

Certamente já se debateram com este problema e certamente a resposta não passa só para atirar developers para dentro da equipa. Como também não chega adicionar apenas gestores de projecto, ou testers, ou administradores de sistemas, etc… Muito provavelmente a resposta também deve ser algo mais equilibrado.

À semelhança da construção civil, também nestes sistemas existem uns arquitetos com um papel muito importante, pelo impacto que tem em todos os outros, e que acabam por ser determinantes para muitas das opções que se vão tomar ao longo do ciclo de vida destas obras.

Este tema espero que sirva de inspiração para todos os que querem compreender melhor esta profissão, e quem sabe, evoluir para uma destas competências.  Eu seguramente vou acompanhar esta nova comunidade de “Aspirantes a Arquitetos”: Skyscrapr.net – e espero encontrar lá muitos colegas ;-)

# Monday, March 27, 2006
Monday, March 27, 2006 1:46:43 AM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas )

Está tudo pronto para o Forum de Arquitectos (Infra-estrutura) de amanhã no CCB. O orador convidado é o Neil Macehiter e vair ser o responsável pela keynote do encontro.

Keynote: Rethinking Enterprise and Infrastructure Architecture - Neil Macehiter

Ao orador convidado da Macehiter Ward-Dutton cabe introduzir, numa perspectiva independente, um dos principais desafios que as organizações enfrentam hoje com as Tecnologias Informação (TI): alinhar com as prioridades de negócio. É objectivo desta sessão descrever como é que as TI orientadas a serviços, definidas no contexto dos processos de negócio, são necessárias para responder a esse desafio e que implicações têm nas actuais linhas de pensamento sobre Arquitecturas. Os diferentes temas serão agrupados numa framework que garanta a conformidade da TIs. Framework essa desenhada com o intuito de assistir os Arquitectos Infra-estrutura na avaliação de arquitecturas e tecnologias.

Sessão 1: Gestão Baseada em Modelos - Kevin Sangwell

No início de cada novo projecto, os Arquitectos de Soluções estabelecem um conjunto de requisitos funcionais junto da empresa. Estes requisitos são muitas vezes utilizados como critérios de êxito da solução; o cumprimento a 100% dos requisitos funcionais = êxito total. E é aqui que reside o problema. Se não houver uma implementação e gestão operacional bem sucedidas, a solução perde grande parte do seu potencial. Os analistas estimam que uma média de 70% do custo total da solução ocorre nas fases de implementação e utilização; assim sendo, por que não estipular um conjunto de requisitos não funcionais (por ex. capacidade de gestão, disponibilidade e segurança) juntamente com os requisitos funcionais? A Microsoft Dynamic Systems Initiative irá disponibilizar as ferramentas que permitem aos Arquitectos incluir aspectos como gestão, flexibilidade e segurança, entre outros, na estrutura das soluções. Esta sessão irá explicar a visão da DSI, abordar a gestão baseada em modelos e demonstrar formas de integração de alguns destes conceitos nas suas soluções já a partir de hoje.

Sessão 2: Aproximar as Duas Vertentes - Kevin Sangwell

As fases de integração e testes são porventura as mais penosas do ciclo de vida da solução para um Arquitecto. Correspondem ao momento decisivo em que as vertentes aplicação e infra-estrutura são confrontadas; é nesta altura que se encontram as primeiras restrições ao nível do data center e em que as políticas de segurança são aplicadas. É também nesta fase que, muitas vezes, ocorrem os gastos mais significativos em termos de tempo e custos. Do ponto de vista de um Arquitecto de Infra-estruturas, esta sessão irá demonstrar que se a infra-estrutura for tratada com o mesmo tipo de disciplina que o desenvolvimento, a transição entre código e implementação será feita de uma forma muito mais tranquila. Iremos constatar de que modo as ferramentas actualmente disponíveis já começam a aproximar estas duas vertentes, desenvolvimento e infra-estrutura, e analisar o que o futuro nos reserva.

Sessão 3: Infra-estrutura Orientada a Serviços - Kevin Sangwell

A maior parte das empresas desenvolveu a respectiva infra-estrutura de forma orgânica; uma nova aplicação aqui, um serviço acolá. Isto resulta numa intrincada rede de soluções, infra-estruturas dentro de infra-estruturas, cada uma delas com o seu próprio directório de utilizadores, políticas de segurança e equipas operacionais. Consequentemente, a gestão de identidades, segurança global e gestão de portfolio tornam-se mais complexos e dispendiosos. São muitas as empresas que encaram a consolidação e virtualização como a combinação mágica que irá dar resposta a estes problemas, mas estas por si só não são suficientes. É necessário aplicar uma estrutura Orientada a Serviços à infra-estrutura da empresa. Nesta sessão, iremos analisar um modelo hipotético de Infra-estrutura Orientada a Serviços, os benefícios que daí poderão advir e os desafios que encontrará pelo caminho até conseguir alcançar este objectivo.

# Thursday, February 09, 2006
Thursday, February 09, 2006 5:35:10 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Apresentações | Arquitecturas )

Já está online o formulário de avaliação para o evento de hoje:
https://msevents-eu.microsoft.com/cui/WelcomePage.aspx?EventID=118768365&culture=pt-PT

Powerpoints (UK): http://www.microsoft.com/uk/msdn/architecture/solution/default.mspx

DSL Tools & GAT: http://msdn.microsoft.com/vstudio/DSLTools/ 

Para instalar as DSL Tools precisam de instalar o Visual Studio 2005 Professional (ou superior) com suporte para C++. Depois é necessário fazer o download do VS SDK de Fevereiro http://affiliate.vsipmembers.com/affiliate/downloadfiles.aspx. Depois de instalar o SDK vai aparecer um novo tipo de projecto na zona dos "Extensibility Projects".

# Monday, March 14, 2005
Monday, March 14, 2005 12:34:56 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Apresentações | Arquitecturas | Sync/Offline )

O Patrick é um colega do Jan Tielens na U2U e vem a Portugal para dar formação em Infopath e IBF1.5. Segunda-feira vai estar no Hotel Real Oeiras e o resto da semana dividido entre Lisboa e o Porto. Na segunda-feira eu faço uma keynote onde explico como a arquitectura das aplicações está a mudar do browser para clientes mais desacoplados e com potencial para coisas como o offline. Este foi o tema que apresentei este ano na XATA2005 e pretende ser algo tipo: SmartClients na pós-webização e o papel do Office para inferir contexto nas novas aplicações.

# Tuesday, February 08, 2005
Tuesday, February 08, 2005 8:54:55 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | Patterns )

O grupo Patterns&Practices lançou um novo wiki de nome PatternShare.org. Aqui podemos encontrar os trabalhos do mais conhecidos autores, organizado num mapa de nome Enterprise Architectural Space Organizing Table (EASOT)

  • Martin Fowler (54 pages)
  • POSA: Buschmann, Jain, Kircher, Meunier, Rohnert, Sommerlad, Stal, and Schmidt (10 pages)
  • Community (8 pages)
  • GOF: Gamma, Helm, Johnson, and Vlissides (20 pages)
  • Microsoft patterns & practices (91 pages)
  • Eric Evans (44 pages)
  • Gregor Hohpe and Bobby Woolf (71 pages)

Estou a organizar o próximo encontro de arquitectos (9 de Março), o tema vai ser todo dedicado aos Enterprise Integration Patterns e vou ter dois oradores da ThoughtWorks. Não vai ser o Hohpe nem o Woolf, mas os Patterns são os do livro e ainda vamos ter uma sessão onde as técnicas são mapeadas a produtos como o Biztalk.

# Tuesday, January 18, 2005
Tuesday, January 18, 2005 11:56:45 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | Patterns | Sync/Offline | Web Services )

14 a 18 de Fevereiro vai ser uma semana de webcasts dedicado à área Banca/Seguros/MercadoCapitais. Os temas passam por arquitecturas, Service-Oriented, Message-Oriented, Integração, Migração COM/WinDNA/J2EE para .NET, Interoperabilidade, Offline, SmartClients, Patterns, Anti-Patterns, ...

Por causa do fuso horário as sessões cá em Portugal acontecem tipicamente entre as 4PM e as 10PM.

Mais detalhes em http://www.microsoft.com/seminar/events/series/msdndotnetunwrapped.mspx

# Sunday, January 16, 2005
Sunday, January 16, 2005 12:07:08 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas )

Para quem ainda não conhece este é o site central a todas as actividades Microsoft dedicadas aos Arquitectos. O site está cada vez mais interessante e sem dúvida o Harry Pierson merece todo o mérito. Aqui podemos ler entrevistas e artigos sobre Software Factories, Domain Specific Languages, Patterns, SOA, Contract-first Development, SmartClients, Disconnected Applications, Service Broker (SSB), ...

Por várias vezes tive de decidir se fazia sentido criar uma área destas em Portugal, mas sempre considerei inglório tentar acrescentar algo a isto:

Nota: Em Maio 2004 tivemos em Portugal uma sessão sobre C-omega, tema que agora está a ser discutido no Architecture Center Concurrency: Next New Major Language Feature? ;-)

# Monday, November 22, 2004
Monday, November 22, 2004 7:15:44 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | Metodologias | Patterns )

Pode ser desconhecimento meu sobre a oferta nacional em termos de pós-graduações, mas este plano de curso impressiona-me bastante pelo ambito e timming com que aparece no mercado:

Disciplina Programa resumido
Métodos Ágeis de Engenharia de Software Agile sofware development e extremme programming
Conceitos Avançados de Programação Meta-programação (introspecção e reflexão), programação segura
Padrões e Arquitecturas de Software Padrões de software e arquitectura de aplicações
Plataformas de Aplicações Empresariais Sistemas de exploração (.net e Java)
Engenharia de Domínio Análise de requisitos e modelação de processos de negócio e engenharia de domínio
Integração de Sistemas Padrões de integração de sistemas, tecnologias e problemáticas do EAI
Ciclo de Vida do Software Gestão de projectos de grande dimensão e acompanhamento do ciclo de vida completo do software
Estudo de Casos e Projectos Aplicados Apresentação e discussão de casos de estudo

Quem estiver interessado em participar pode fazer o download do folheto de apresentação.

# Tuesday, November 02, 2004
Tuesday, November 02, 2004 12:28:10 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Apresentações | Arquitecturas | Web Services )

Dia 3 vou participar neste painel "Service Oriented Architecture (SOA) uma tecnologia ou arquitectura?". Entretanto tenho de actualizar os meus slides. Talvez este artigo do Peter Coffee ajude: Taking a New Tack With SOAs

# Wednesday, August 11, 2004
Wednesday, August 11, 2004 2:18:18 PM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas | Patterns )

.NET Architecture Center: Software FactoriesSoftware Factories é uma nova metodologia, desenvolvida na Microsoft, com o objectivo de configurar ambientes para o desenvolvimento rápido de tipos de aplicações específicas (Software Product Lines).

Usando linguagens visuais para composição e configuração de componentes, esta metodologia não é mais do que uma evolução natural dos métodos e praticas actuais. As diferenças estão na utilização de Domain Specific Languages (DSLs) e XML como fonte capaz de capturar os metadados com alta fidelidade, suportar transformações e geração de código bem como outras formas de automação do fabrico de software. Ir para além do modelo como documentação, capturar e "executar" os modelos, gerir a sua evolução ao longo do ciclo de vida, gerir as dependencias de components 3rd-party (supply chain), correções, versões - enfim, a caminho da industrialização.

Este tema tem influenciado toda a nova geração de ferramentas (Visual Studio 2005 Team System) e está agora a atingir o público com um site no MSDN Architecture Center, artigos no JOURNAL3, no TSS.NET, no SDtimes e com a publicação de um livro para breve:

cover

Software Factories: Assembling Applications with Patterns, Models, Frameworks, and Tools by Jack Greenfield, Keith Short, Steve Cook, Stuart Kent

Jack Greenfield is an Architect for Enterprise Frameworks and Tools at Microsoft. He was previously Chief Architect, Practitioner Desktop Group, at Rational Software Corporation, and Founder and CTO of InLine Software Corporation. At NeXT, he developed the Enterprise Objects Framework, now called Apple Web Objects. A well known speaker and writer, he also contributed to UML, J2EE and related OMG and JSP specifications. He holds a B.S. in Physics from George Mason University.

Keith Short leads Enterprise Frameworks and Tools Architecture Team at Microsoft. He helped lead design of the Information Engineering Facility from Texas Instruments Inc., now Advantage Gen from Computer Associates Inc. He was later named a TI Fellow and became CTO for Software at TI. He contributed to UML 1.0, and lectures at conferences and seminars world wide. He holds a Bachelors degree in Computer Science from the University of Lancaster, and a Ph.D in Computer Science from the University of East Anglia.

Steve Cook is an Architect for Enterprise Frameworks and Tools at Microsoft. He founded the Object-Oriented Programming and Systems Group of the British Computer Society, and the Object Technology conference series. He was a Research Fellow at Queen Mary and Westfield College, London University. He started the Object Technology Practice at IBM, became a Distinguished Engineer, and was elected to the IBM Academy of Technology. With John Daniels he developed the Syntropy method, and was a major contributor to UML, introducing OCL, and representing IBM on the UML2 submission. He is a British Computer Society Fellow, and has an Honorary Doctor of Science from De Montford University.

Stuart Kent is a Program Manager for Enterprise Frameworks and Tools at Microsoft. He was Senior Lecturer at the University of Kent and a Royal Society Industry Fellow, supported by IBM. He contributed to the UML 2 and MOF 2 standardisation efforts, and has done extensive research, with over 60 refereed publications. He speaks frequently at international events, and participates in numerous programme committees, including the steering committee for the UML conference series, and the editorial board for SoSym journal. He has a PhD in Computer Science from Imperial College, London.

# Friday, July 16, 2004
Friday, July 16, 2004 8:10:28 PM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas )

O autor do Metropolis e de outras coisas interessantes lançou um site para juntar ao seu blog.

# Monday, July 05, 2004
Monday, July 05, 2004 1:15:17 PM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas | Patterns | Web Services )

Neste Teched Amsterdam surgiram algumas novidades sobre a evolução dos application blocks e do shadowfax/SDAF/EDAF/EDRA. Desde então já se fizeram comentários sobre o fim do shadowfax. É verdade que o shadowfax se tornou num projecto complexo e de aplicação específica, contrariando os objectivos dos patterns & practices. No entanto este projecto vai ser muito importante para o lançamento da nova framework, do visual studio e de muitos documentos que estão a ser preparados para ajudar os programadores.

Neste projecto procura-se aplicar quatro princípios importantes na implementação de serviços em sistemas distribuidos:

  • Separação do interface do serviço da sua implementação
  • Separação da implementação (domain logic) daquilo que é ortogonal e específico de determinados transportes e/ou configurações (por exemplo: logging, tracing, autenticação, autorização, ...). Uma espécie de AOP aplicado aos pipelines de execução dos pedidos (AOP Aspects ~ Handlers).
  • Separação da implementação do transporte para permitir múltiplos transportes. (Se uma mensagem pode ser representada em XML porque não suportar simultaneamente serviços via Web Services, .NET Remoting, MSMQ, SMTP, Indigo...)
  • Interfaces estáveis (p.ex. com versões) para funcionarem com contractos que garantem o desacoplamento entre o serviço e os seus clientes (consumers)

Para demonstrar estes conceitos e como eles se aplicam com facilidade usando esta framework, foram introduzidas no source quatro quickstarts e um site de homebanking (GBRI/Global Bank). O projecto cresceu e teve muito feedback importante. Identificaram-se incongruências entre os vários app blocks actuais e descobriram-se novos blocos que vão surgir todos debaixo de um novo nome dentro do MSDN: algo entre o "Block Library" ou "Enterprise Library".

Resumindo, este continua a ser o melhor projecto para aprender (source code) a tirar partido da framework .NET e de onde estão a surgir importantes componentes reutilizáveis e gratuitos.

Podem começar pelo site do projecto http://www.gotdotnet.com/Community/Workspaces/Workspace.aspx?id=9c29a963-594e-4e7a-9c45-576198df8058. Entretanto foi publicado também um add-in (templates) para o VisualStudio para simplificar a utilização desta framework nos projectos: http://www.gotdotnet.com/Community/Workspaces/newsitem.aspx?id=9c29a963-594e-4e7a-9c45-576198df8058&newsId=2971

# Monday, June 28, 2004
Monday, June 28, 2004 10:27:42 AM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas | Web Services )

O projecto do Arvindra Sehmi e do Clemens Vasters já está disponível para download.

FABRIQ é uma framework para construir redes de processamento rápidas e escaláveis. Estas redes são baseadas em nós autónomos que fazem processamento e reencaminhamento de mensagens.

Cada nó implementa um pipeline onde podem executar inúmeras unidades funcionais primitivas ou especializadas. Estas unidades consomem, actuam e/ou produzem novas mensagens como resultado do seu trabalho. A comunicação entre os nós é assíncrona (queuing networks) o que dá a estas redes uma capacidade impressionante para suportar carga.

No http://workspaces.GotDotNet.com/fabriq podem explorar a documentação (arquitectura, cenários, exemplos). Existe também um Hands-On Lab que está a ser usado no TechEd Amsterdam (ARC-IL01).

O Clemens está a fazer posts no weblog sobre o fabriq – onde devem aparecer algumas comparações entre o FABRIQ e as outras frameworks de mensagens que estão no nosso radar (Biztalk, Shadowfax, Indigo, …)

# Saturday, May 08, 2004
Saturday, May 08, 2004 12:22:43 PM (GMT Daylight Time, UTC+01:00) ( Arquitecturas | Web Services )

No dia 30 de Abril tivemos em Portugal mais um encontro de arquitectos, deste vez para discutir Service Oriented Architectures (SOA):

  • (keynote) Enabling Connected Applications with Service Orientation - Lawrence Wilkes http://cbdiforum.com
  • (choices) Real-life Connected Applications - Nigel Watling & Lawrence Wilkes
  • Service Design - Gianpaolo Carraro
  • Advanced Services Beyond the Basics - Nigel Watling & Lawrence Wilkes
  • (futures) Roadmap: Guidance on going forward - Nigel Watling

Lawrence Wilkes é autor de vários artigos sobre o tema. Recentemente viu publicado um dos artigos, Considerations for Agile Systems, do Journal2 no site MSDN .NET Architecture Center. Também apresentou vários caso de estudo: L'Oreal, Accor, Tesco.com, Danske Bank, ERGO, e Visa/Clear2Pay/ClearPark.

O Gianpaolo surpreendeu com um sessão de analise e desenho de serviços e o Nigel foi responsável para mapear tudo isto às tecnologias Microsoft (ASP.NET Web Services, Biztalk Server, WSE e Indigo) e deixar um conjunto de recomendações para quem está agora a implementar sistemas distribuidos com .NET Remoting, COM+ EnterpriseServices, MSMQ e WSE tendo em conta as evoluções futuras nas specs WS-* e Indigo.

Os powerpoints estão disponíveis para download em http://www.theArchitectExchange.com

 

# Sunday, March 14, 2004
Sunday, March 14, 2004 12:50:25 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | Patterns )

Já tinha falado aqui sobre o Whitehorse e sobre o novo designer SOA mas nas últimas semanas este tema tem gerado mais posts & comentários:

Muito porque o Keith Short, um dos arquitectos das Enterprise Frameworks & Tools no novo Visual Studio "Whidbey", começou um weblog onde tem vindo a defender as razões porque a Microsoft está a seguir Domain Specific Languages (DSL) em vez do OMG's UML/MDA. Recomendo todos os posts bem como um leitura dos comentários.

Ele também deu um entrevista para o DNJ Online sobre Designing Applications with Whidbey e parece-me um excelente artigo sobre aquilo que podemos esperar para esta primeira versão do whitehorse. Também na CNET tem um artigo Microsoft places bet on Whitehorse.

 

# Tuesday, March 02, 2004
Tuesday, March 02, 2004 4:20:46 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | Patterns | Sync/Offline | Web Services )

Trata-se de mais um bloco de código reutilizável e um conjunto de exemplos que demonstram como fazer aplicações que funcionam online e offline. Com este bloco a aplicação consegue detectar o estado da ligação, guardar dados em cache para utilização offline, e sincronizar dados e tarefas com os servidores assim que a aplicação ficar online.

O objectivo é fugir dos modelos de merge-replication (tightly-coupled) e desenhar sim interacções baseadas em mensagens (SOA) desacopladas. Esta framework usa um mecanismo de store & forward para guardar as mensagens pendentes. Desta forma muitas das complexidades deste tipo de aplicação ficam praticamente transparentes para o developer.

Para trabalhar offline o DataLoaderManager faz download dos dados de referencia necessários. Depois o ReferenceDataCache é usado sempre que o acesso online não está disponível.

Durante o funcionamento offline também é possível preencher tasks (UIP) e a sua efectivação (ex: post para um Web Service) fica queued no Application Service Agent até o ConnectionManager determinar que é possível fazer o upload dos dados.

Acho que este bloco vai ser uma excelente framework não só para aplicações rich-client/mobile mas até mesmo para construir Autonomous Services. Imaginem uma loja online (reference data = catálogo de produtos) que está a aceitar encomendas (task = carrinho de compras) mesmo quando os servidores (armazém/distribuição) estão indisponíveis. Existem muitas aplicações web que ficariam muito mais robustas e escaláveis se o site fosse fácil de replicar por data centers remotos. E o resultado das aplicações fosse uma simples menssagem para um web service assíncrono.

O source code foi desenvolvido neste workspace e bloco já está no msdn para download

# Friday, February 13, 2004
Friday, February 13, 2004 11:35:48 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Apresentações | Arquitecturas | Web Services )

Novas Arquitecturas baseadas em Web Services - joseas - Fev04.ppt (2.22 MB)

Alguns links úteis sobre os temas em que estive envolvido durante a conferência.

Interop XML/SOAP/WSDL/WS-*
No ínicio do SOAP, grupos de utilizadores como o http://soapbuilders.org, fizeram testes de interoperabilidade entre as diferentes implementações de SOAP. Agora esse trabalho é todo feito nos workshops e mais tarde no http://ws-i.org/.

XML na análise multidimensional
Já existe uma spec para query de motores OLAP usando HTTP/XML:

XML e Metainformação
Com o próximo windows (codename Longhorn) vai aparecer em todos os desktops um storage hierarquico e rico em metadados chamado WinFS. Gostava de estudar possíveis relações de Topic Maps com o WinFS; Criação de UI 3D de navegação em RDFs usando Avalon/XAML.

Web Services e Informação Geográfica
Existe um concept video do longhorn que apresenta algumas ideias para web services sobre GIS. O MapPoint.NET é um exemplo real da utilização de web services nesta área.

# Wednesday, February 11, 2004
Wednesday, February 11, 2004 1:31:11 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Apresentações | Arquitecturas | Web Services )

Esta semana vou participar no XATA2004 com o tema Novas Arquitecturas baseadas em Web Services:

"Ao longo do tempo, o nível de abstracção a que as funcionalidades são especificadas, publicadas e consumidas tem vindo a elevar-se gradualmente. Progredimos com os módulos, objectos (OO), componentes (CBD) e agora procuramos expor serviços (SOA). Embora estas arquitecturas orientadas para serviços não sejam novidade, foi a adopção generalizada dos XML Web Services (SOAP) por toda a indústria que fez renascer o interesse neste modelo.

Diferentes empresas estão a descobrir nos Web Services a solução para uma maior interoperabilidade, redução de dependências e uma forma de agilizar os seus sistemas. No entanto, mesmo com web services, também é possível implementar arquitecturas demasiado acopladas e síncronas, que mais se assemelham aos Remotings tradicionais (RPC).

Nesta sessão procuramos ainda fazer um ponto de situação das especificações e ferramentas que nos vão permitir implementar soluções transaccionais, robustas e seguras usando o SOAP."

# Tuesday, February 10, 2004
Tuesday, February 10, 2004 12:02:29 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | Patterns )

Desde o PDC que é publico que a Microsoft está a tomar uma aproximação divergente da stack OMG para MDA. E isso ficou também documentado neste artigo do mesmo Keith Short que fez a sessão no PDC. Recentemente o Steve Cook (ex.IBM) e um dos “central contributer” para o UML, publicou este paper sobre Domain-Specific Modeling and Model Driven Architecture onde se pode ler coisas como:

  • MDA is misnamed: it is not an architecture at all; it is a standardized approach to model-driven development based on abstraction of platform similarities. As promoted by the OMG, it does not address the broader issues involved in using integrated models, patterns, frameworks, and tools synergistically to support software product lines. Furthermore ... the fact that the MDA is based on the use of the UML and MOF specifications restricts its usefulness even more. [pág 6]
  • At Microsoft, we firmly believe that modeling is an increasingly important aspect of the software development process, and we will integrate support for modeling into forthcoming releases of Microsoft Visual Studio. We believe that it is essential to design modeling languages very carefully to suit the skills of their target users: we intend to delight our users by giving them an experience of modeling that is intuitive, agile, productive, and seamless. We are targeting our first modeling products at areas that we believe will give most immediate benefit to our customers. At the recent Microsoft Professional Developers’ conference, we announced modeling tools–we call them designers–that help the developer to design and deploy distributed service-oriented applications. [pág 5]

O “designer” SOA a que ele se refere é o mesmo que já anunciei aqui. Entretanto recomendo também estes postings do Martin Fowler, Michael Platt e do Harry Pierson de onde retirei estes quotes.

Desde que conheci o ORM que comecei a achar o UML demasiado complexo para o comum dos domain experts que normalmente faz o papel de cliente (pagador) e que devia conseguir validar o modelo. A verdade é que em determinados domínios deveria ser possível usar esquemas mais intuitivos e mais adequados ao problema que se quer modelar. Assim, o que vamos ter no Visual Studio, é uma infra-estrutura para suportar diferentes designers mas cujos metadados recolhidos vão ser usados na geração e/ou execução da aplicação. Mas não se preocupem que os diagramas mais comuns (ex. class diagram) vão estar lá de base também. Penso que não é uma questão de estar contra o UML 2.0 mas sim de não querer estar constrangido pelos modelos de extensibilidade do UML.

Recomendo este paper Domain-Specific Modeling and Model Driven Architecture (pdf 10pág.) author:

  • Steve Cook is a Software Architect in the Enterprise Frameworks and Tools group at Microsoft, which he joined at the beginning of 2003. Previously he was a Distinguished Engineer at IBM, whom he represented in the UML 2.0 specification process at the OMG. He has worked in the IT industry for almost 30 years, as architect, programmer, consultant and teacher, and has focused on modeling languages and tools since the 1980s. He has published a book and many papers and articles on software-related topics.
# Wednesday, February 04, 2004
Wednesday, February 04, 2004 2:41:53 AM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas | Patterns | PDC 2003 | Web Services )

Este novo site, gémeo do famoso portal da comunidade Java, está a começar muito bem e já se encontram aqui bons artigos. Recomendo o Autonomous Services and The New Information Architecture. É uma excelente compilação de temas relacionados com a evolução das tradicionais noções n-tier (DNA) para serviços autónomos. Descreve, por exemplo, como pode ser modelada a arquitectura dos dados nestas soluções: Request/Response Data, Reference Data, Activity Data & Resource Data. Está muito inspirado nas sessões do Architecture Symposium.

Neste site também se pode encontrar alguns capítulos do novo Patterns & Practices sobre Performance, por exemplo Improving Web Services Performance. E uma entrevista ao "pai" de muitas das coisas que se discutem neste blog: Don Box - Indigo Architect.

# Wednesday, December 17, 2003
Wednesday, December 17, 2003 12:35:42 PM (GMT Standard Time, UTC+00:00) ( Arquitecturas )

Já está online a primeira edição desta publicação dirigida aos Arquitectos TI europeus.

Os artigos publicados são submetidos por clientes, e o editor Arvinda Sehmi que esteve recentemente em Portugal, deixou o convite para que os investigadores nacionais participassem também com a sua experiência.

Tópicos seleccionados para o número 1:

site: http://www.theArchitectJournal.com
pdf: http://www.thearchitectjournal.com/Journal/issue1/docs/MS%20EMEA%20Architects%20Journal%20-%20Issue1%20-%20A4.pdf (em formato reduzido para A4)